6 dicas essenciais para definir o tom de voz da marca no ambiente digital

Em mercados muito disputados, os empreendimentos que ganham destaque são os que fazem a empresa ser lembrada com mais facilidade. Nesse sentido, definir o tom de voz da marca é essencial.

Assim como na comunicação entre seres humanos, a voz é o que caracteriza o tipo de comunicação da sua empresa com o mundo. O tom define o teor, encontrando a linguagem mais apropriada ao seu discurso — e ao seu público.

Então, quer saber como encontrar o tom de voz sua empresa? Continue esta leitura para conferir!

1. Adequação à persona

Nada é pior do que fazer uso de uma mensagem que o seu público não é capaz de compreender. Afinal, uma quantidade razoável de recursos é investida na elaboração e transmissão do conteúdo — que é desperdiçada se ele não for efetivo.

Justamente por isso, é importante não só determinar uma persona, mas também encontrar a linguagem que melhor corresponda ao entendimento dela. Desse modo, a comunicação se torna mais direta e objetiva.

Procure encontrar informações que vão além do comum. Quais são os hábitos do seu cliente ideal? E os seus gostos pessoais? As respostas dessas perguntas podem lhe dar uma luz sobre quais referências você deve veicular nos materiais da empresa.

2. Adjetivação da personalidade da marca

É fácil cair na tentação de dar muito valor aos números do negócio e se esquecer do resto. Mas, se há uma coisa de que os gestores não podem abrir mão são os valores da empresa. São eles que definem a sua personalidade.

O que isso tem a ver com o tom de voz da marca? Simples: essa personalidade será refletida em todos os canais pelos quais a empresa se expressa, desde o atendimento até o time de vendas.

O discurso da empresa vai ser informal ou profissional? Bem-humorado ou sério? Quais imagens você quer despertar no imaginário do seu público? Em suma, a voz está associada à personalidade da marca, enquanto o tom diz respeito a como ela se expressa.

3. Análise da concorrência

Investir na identidade de uma marca é investir em coisas que a distinguem das demais. Desse modo, um dos conhecimentos mais valiosos que uma empresa pode ter diz respeito ao comportamento de quem disputa o seu mercado. Afinal, para ter um diferencial é preciso saber de quem se diferenciar, certo?

Nesse sentido, você pode começar por um benchmarking — isto é, uma pesquisa ampla sobre como fazer a empresa alcançar a melhor performance no mercado.

Essa pesquisa pode ser feita de várias maneiras, mas o ideal é começar com um benchmarking interno, analisando pontos de melhora nas equipes. Conhece aquele ditado, “se quiser arrumar o mundo, comece arrumando o seu próprio quarto”? Pois é: não adianta querer se diferenciar da concorrência se a sua empresa for disfuncional.

O segundo passo, então, é o benchmarking competitivo — com o cuidado, contudo, para não pautar a análise apenas em números. O tom de voz da empresa não é mensurável, e a análise da linguagem que os concorrentes usam é complexa.

Algumas práticas de inteligência comercial e leitura de tendências de mercado podem ser úteis nesta etapa.

4. Tipo de publicação

No início do post, falamos que o tom de voz tem a ver com o discurso. Isso significa que a voz está associada à personalidade, e o tom, à mensagem. Portanto, o tipo de publicação deve ser analisado na hora de se pensar na linguagem.

Um informe institucional é diferente de um blog post, por exemplo. Então, procure analisar quais recursos vão ser usados na comunicação verbal e escrita, por meio da escolha de palavras, sempre selecionando o tom mais adequado.

Essa atenção à linguagem deve estar presente nos vários materiais da sua marca: anúncios, conteúdos em redes sociais, slogan, e por aí vai. O importante, no geral, é criar um calendário editorial, fazendo projeções de como cada conteúdo corresponde a um dia da semana da persona. Assim fica muito mais fácil definir o tom de cada publicação.

Qual dia da semana o seu público está mais favorável a entrar no ciclo de vendas? Qual é o tom ideal para o fluxo de nutrição por e-mails? É importante ter essas perguntas respondidas.

5. Sentimento que deseja ser passado

Quando você pensa na palavra “Volkswagen”, qual é a primeira imagem que lhe vem à cabeça? Provavelmente, a de um carro eficiente e confortável. Isso se deve ao fato de a comunicação acontecer nas mais diversas esferas possíveis.

A comunicação consciente é direcionada às decisões que envolvem qualidades: como, por exemplo, se um carro da Volkswagen é bom ou ruim para o cliente. Já a subconsciente está associada às crenças do público, como a noção do que é bom e ruim.

A comunicação inconsciente, por outro lado, é a mais interessante para o propósito do marketing. Nessa esfera é que residem as influências mais instintivas, relacionadas às emoções das pessoas. E entender o sentimento a ser passado é essencial, já que o tom de voz é um dos meios mais importantes para despertá-los.

6. Postagens nas redes sociais

Hoje, as redes sociais são o meio mais interativo para o seu público, com possibilidades de reação rápida e feedback preciso. Por isso, elas servem como uma excelente fonte de experimentações e testes, buscando otimizar as postagens e encontrar qual tom converte mais.

Uma das grandes vantagens desse uso é a fidelização. Considerando que publicações suas apareçam no feed dos clientes toda semana, a presença do tom de voz da marca se torna mais familiar ao seu público.

Além disso, as redes sociais permitem uma segmentação mais precisa. O Facebook Ads, por exemplo, usa algoritmos de machine learning para encontrar quais clientes são mais suscetíveis aos seus posts e ao tom usado neles, com anúncios personalizados. Pense nisso!

Enfim, o tom de voz da marca pode definir como a mensagem da sua empresa vai ser construída e direcionada, como vimos ao longo deste texto. Além disso, ela ainda é um fator subestimado por algumas administrações, podendo servir como um diferencial para sua empresa.

Procure fazer esse trabalho em parceria com o seu departamento de marketing. Afinal, é nessa área que estão as pessoas mais indicadas para aprimorar a comunicação do seu negócio. Lembre-se também de que o tom de voz da marca só será externalizado por sua equipe se, primeiro, for internalizado. Então, cuide também de como essa comunicação interna será feita!

E aí, gostou do nosso post? Quer saber ainda mais sobre como deixar a sua empresa um passo à frente dos concorrentes? Aproveite agora para assinar a nossa newsletter e fique por dentro de mais conteúdos como este!

Você Também Vai Gostar