Otimização de sites: o guia completo

Destacar a sua empresa em meio a tantas opções na internet é um trabalho que vale muito a pena. Sempre que o público precisa encontrar alguma informação, como produtos, preços e avaliações, ele utiliza os buscadores, como o Google. Então, para estar nas primeiras posições entre as respostas, é preciso entender a otimização de sites.

Essa otimização permite que o seu ambiente virtual receba mais visitantes e, consequentemente, mais vendas sejam concluídas, gerando maior lucratividade. Interessante, não é mesmo? Por essa razão, qualquer empresa pode e deve buscar esse trabalho.

Criamos este conteúdo, que é um guia completo de otimização de sites, justamente para lhe mostrar tudo o que você precisa saber para trabalhar as suas estratégias digitais. Vamos abordar os seguintes tópicos:

  • entenda o que é a otimização de sites;
  • a importância da palavra-chave na otimização de sites;
  • a escolha da palavra-chave ideal;
  • quais são e como aplicar as técnicas de SEO; e
  • saiba como tornar a navegação do seu site responsiva para o usuário.

E então, está preparado para começarmos? Boa leitura!

Entenda o que é a otimização de sites

A otimização de sites é um trabalho que visa aumentar a encontrabilidade das páginas para a busca orgânica, a não paga. A finalidade com isso é criar um ambiente mais agradável ao público e que gere um maior tráfego e maior conversão em vendas.

Em inglês, esse trabalho é visto como SEO — Search Engine Optimization. O SEO é tão importante nos dias de hoje que já há vagas nas empresas específicas para essa função, como Analistas de SEO.

Antes de mais nada, vamos explicar o que é a busca orgânica e como o Google organiza as buscas. Quando você utiliza o buscador, na página de respostas há links de direcionamentos. Os primeiros lugares, no topo da página, ficam os links com uma marcação de “anúncio”. Esses são links patrocinados, quando você decide anunciar no Google, dentro da plataforma do Google Adwords. No entanto, as páginas seguintes não são pagas, são orgânicas.

Para alcançar essas posições de destaque na busca orgânica é preciso investir nas técnicas de SEO.

Mas por que realmente é necessário trabalhar a otimização? Para responder isso, vamos pensar em um estabelecimento físico. Imagine que você cria uma empresa que atende as necessidades dos seus clientes, com produtos de qualidade e que são buscados pelos consumidores. Porém, você escolheu uma região pouco frequentada pelo público-alvo, de difícil acesso. Qual será a resposta desse investimento nas vendas? Certamente não será aquilo que você esperava!

Para um estabelecimento físico dar certo, a escolha de uma boa localização é fundamental. Na internet isso não é diferente. Se você criar uma loja virtual, mas o público não a encontra, as vendas não serão boas.

Para ilustrar o que estamos falando, vamos utilizar uma referência bem interessante. Um estudo fez uma comparação de volume de cliques entre as páginas mostradas na busca do Google. Como resultado, a primeira posição da busca orgânica recebeu quase 35% dos cliques. A segunda ficou com aproximadamente 15% e a terceira cerca de 8%. Ou seja, os primeiros lugares concentram quase 60% dos cliques. Estar fora deles é perder tráfego e, consequentemente, vendas!

A importância da palavra-chave na otimização de sites

Para entender a otimização de sites tudo começa pela palavra-chave. Ela representa o termo principal utilizado na página, você vai entender melhor quando explicarmos as técnicas, nos próximos tópicos.

Agora, pense em como você faz uma busca na internet quando está querendo saber mais informações sobre algo ou encontrar um produto. Provavelmente você abre uma página do Google, digita um determinado termo e manda pesquisar, certo? Então, esse termo que você utilizou é a palavra-chave.

Basicamente, existem dois tipos de palavras-chave: head tail e long tail.

Head tail

Head tail são os termos mais curtos e generalistas. Normalmente eles são utilizados no início de uma pesquisa, quando o usuário ainda não tem um conhecimento tão grande sobre aquilo que está pesquisando, ou seja, ele ainda está no topo do funil.

Por exemplo, imagine que eu esteja avaliando a compra de uma televisão, mas ainda não fiz nenhuma pesquisa e não sei o modelo, tamanho, marca, nada. Então, entrei no Google e digitei o termo “televisão”. Esse é um head tail e que me mostrará aparelhos de diversos modelos, marcas e características.

A head tail tem uma característica bem interessante: o alto volume de buscas. Pensando no funil, há uma maior quantidade de pessoas no topo, e isso explica o motivo de termos uma alta procura por esse tipo de palavra-chave.

Porém, como é mais generalista e com maior volume de pesquisas, as palavras-chave head tail apresentam um alto nível de concorrência, sendo mais difícil e demorado para ranquear bem.

Long tail

Já o long tail representa os termos mais específicos. São mais longos e direcionados para aquilo que o usuário procura.

Seguindo nosso exemplo criado no head tail, da televisão, imagine que agora eu já saiba mais informações do aparelho que quero comprar. Então, abri uma janela do Google e digitei o seguinte termo: “televisão 42 polegadas smart tv 4k”. Agora, com essa descrição, as respostas são bem mais direcionadas aquilo que eu preciso, pois eu usei uma long tail.

No entanto, quanto mais informações eu colocar, mais segmentada será a resposta. Menos pessoas fazem esse tipo de busca, ou seja, o volume de procura pelo termo em questão é menor.

A concorrência para o long tail é inferior ao head, uma vez que já é direcionado para somente os produtos que atendem às características. Isso diminui a dificuldade em colocar as páginas em uma melhor posição nas pesquisas.

Para fechar, como a long tail é mais específica, significa que os usuários que as utilizam tendem a estar mais próximos de fechar as compras, ou seja, no meio ou fundo do funil de vendas.

Então, recapitulando as informações que mostramos e criando uma comparação:

Head tail

  • termos generalistas;
  • alto volume de buscas;
  • alta concorrência e dificuldade para ranquear;
  • usuários no topo do funil, mais distantes da compra.

Long tail

  • termos específicos;
  • baixo volume de buscas;
  • baixa concorrência e menor dificuldade para ranquear;
  • usuários no meio ou fundo do funil de vendas, mais perto de fechar as compras.

A escolha da palavra-chave ideal

Agora que você já sabe um pouco sobre a importância da palavra-chave e as diferenças entre head tail e long tail, deve estar se perguntando quando usar cada uma delas e como definir esses termos, correto? Se essa é a sua dúvida atual, vamos explicá-la agora.

Cada página criada na internet carrega uma palavra-chave. Se você cria uma página de produto, por exemplo, é interessante destacar um termo que faça a referência ao item. Se você cria um conteúdo para o blog, funciona da mesma forma, destacando uma palavra-chave importante para o texto.

Porém, saber se nesse espaço cabe um head tail ou long tail é você mesmo que deve responder. Será que o seu conteúdo fala sobre algo específico ou é uma página generalista? O público dessa página já está apto para a compra ou ainda está conhecendo a oportunidade? Essas questões ajudam a esclarecer sobre o tipo de termo a ser utilizado.

Mas como encontrar esses termos? Como saber qual é a palavra-chave ideal para cada página? Existem ferramentas bem interessantes para isso.

Keyword Planner

Já que estamos focando no Google, vamos mostrar uma ferramenta que eles mesmo disponibilizam: o Keyword Planner. Ela é bem interessante e ajuda as empresas no objetivo de trabalhar a otimização de sites.

Trata-se de uma ferramenta gratuita e de simples utilização. Basta acessá-la e digitar um termo relacionado ao que você está tratando. Então, serão mostradas algumas sugestões de palavras-chave, com o volume de buscas de cada uma delas, o nível de concorrência e também o valor sugerido caso queria investir no Google Adwords.

SEMRush

O SEMRush é uma ferramenta paga, mas que pode ajudar bastante na otimização de sites. Ele mostra um panorama completo dos termos que você pode utilizar. Assim como o Keyword Planner, quando você digita um primeiro termo, são mostradas sugestões de palavras relacionadas, com uma série de informações sobre elas, tais como volume, concorrência e também mostra as condições para patrocinar os termos.

O interessante no trabalho de otimização de sites é pesquisar quais são as principais palavras-chave utilizadas pelo seu público-alvo, avaliando o nível de procura e concorrência, principalmente, para traçar uma estratégia que leve suas páginas até o topo das pesquisas.

Quais são e como aplicar as técnicas de SEO

Agora que você já tem um bom conhecimento sobre palavras-chave, entraremos no trabalho de otimização de sites em si. Fizemos uma listagem das principais técnicas de SEO para que você comece a aplicar no seu site agora mesmo. Acompanhe:

Estrutura de links

Um dos fatores mais considerados pelos mecanismos de busca na hora de criar o ranqueamento das páginas é a estrutura de links. Quando você insere links internos nas suas páginas, direcionando para novos conteúdos dentro do seu próprio site, o usuário pode acessar mais informações, de forma completa.

A estratégia de links internos é interessante porque promove uma melhor experiência do usuário, uma vez que ele pode acessar várias páginas relevantes para aquilo que está buscando.

Além disso, também é benéfica para o site em geral, uma vez que o tempo de permanência daquele visitante tende a aumentar e várias páginas receberão acesso.

Outra dica valiosa é incluir links externos. Muitas pessoas podem achar que essa estratégia é não boa porque está direcionando o seu visitante para um outro site, mas não é bem assim. Quando você inclui um link externo, está considerando que essa referência é relevante para o usuário.

O inverso também pode acontecer. Se o seu site se transforma em uma referência no mercado que está incluído, outras páginas farão o direcionamento para você e isso gera uma grande relevância para os mecanismos de busca.

Então, planeje uma estrutura de links internos e externos para as suas páginas. Uma boa ideia é pensar também nos tipos de palavras-chave. Ou seja, você cria páginas com long tail para ranquear bem com maior velocidade. Então, direciona essas páginas para uma com head tail, direcionando o fluxo de visitantes e fazendo com que ela ganhe tração no posicionamento orgânico.

Otimização das imagens

Os mecanismos de busca não conseguem reconhecer uma imagem em um conteúdo. Para eles, é somente um espaço vazio. Então, para tornar as imagens reconhecidas e valorizadas, você precisa utilizar o campo de alt text, ou texto alternativo.

O Google e outros mecanismos farão a leitura das imagens por esse campo. É interessante preencher esse espaço com a palavra-chave que você deseja para a página.

Além disso, lembre-se sempre de trabalhar com imagens originais e tome cuidado para não carregar fotos e vídeos pesados, que podem prejudicar a abertura das páginas, pois isso também é um fator de ranqueamento do seu site.

Endereço eletrônico amigável

A URL, ou endereço eletrônico, também é um ponto observado no trabalho de otimização de sites. Ao verificar o código o usuário deve conseguir identificar o assunto da página. É interessante encaixar a palavra-chave também nesse espaço.

Páginas que têm a URL como uma sequência numérica não são bem representadas. Já aquelas mais simples e objetivas, sim!

Então, tenha atenção no momento de criar o endereço eletrônico e procure ser objetivo nas palavras.

Uso de palavras-chave de forma estratégica

Neste guia completa já ficou bem clara a grande importância que têm as palavras-chave, certo? Elas impactam em todo o trabalho de otimização de sites, desde as pesquisas iniciais até as técnicas em si.

Nas páginas elas também devem ser usadas de forma estratégica para alavancar os resultados.

Se você deseja investir no Inbound Marketing, criando ações para fazer com que seus clientes cheguem até você, precisa começar a criar conteúdos relevantes. Essa estratégia gera uma série de benefícios, como maior credibilidade, conhecimento da marca, redução no ciclo de venda, menor solicitação ao setor de atendimento, maior satisfação dos clientes, maior fidelização, entre outros.

A base do Inbound é a criação de conteúdos, e aqui você também deve se importar com as palavras-chave. Ao criar um material relevante, você precisa definir a palavra-chave para a página. Então, coloque esse termo pelo menos uma vez na introdução do conteúdo e uma vez na conclusão. Além disso, trabalhe o termo no desenvolvimento e, se possível, em ao menos um dos intertítulos.

Lembre-se de colocar a palavra-chave também nas imagens, no campo de texto alternativo.

Tempo de carregamento das páginas

Como já citamos, o tempo de carregamento das páginas também é um fator de influência para ganhar posições na busca orgânica. Se você cria um ambiente que demora a carregar por completo, prejudica a experiência do usuário e certamente o buscador fará uma penalização pesada!

O Google PageSpeed é uma boa ferramenta para se utilizar. Ela mostra o desempenho da sua página, quanto tempo ela demora para carregar e ainda uma avaliação, com nota de 0 a 100, para o site. É interessante que a ferramenta mostra o panorama do site tanto para a versão desktop como para o site mobile.

Usabilidade do site

A usabilidade dos usuários dentro do site também é importante para a otimização. Uma vez que o Google e demais buscadores desejam oferecer respostas relevantes para o público, sempre encaminhando o tráfego para ambientes em que encontrarão as respostas para o que procuram, serão priorizadas páginas com boa qualidade de uso.

Se o seu público entra no site e tem dificuldades em encontrar aquilo que precisam, eles fecharão a página e buscarão outras opções. Esse movimento de entrar e sair sem conversão é penalizado pelos buscadores.

Então, no momento de criar as suas páginas, pense sempre em estruturar um ambiente agradável e de fácil manipulação. Os usuários não devem ser exigidos quanto a conhecimento em sites e compras online. Qualquer pessoa deve ser capaz de achar informações e fechar uma compra com facilidade e experiência agradável.

Engajamento dos usuários

Um dos principais objetivos das empresas, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte, é criar engajamento do público com a marca. Esse engajamento consiste na interação, seja comentando publicações nas redes sociais, compartilhando, criando avaliações dos produtos nos sites ou indicando a empresa para novos consumidores.

O relacionamento com o público, aliás, gera uma série de benefícios. Empresas que se colocam mais próximas aos seus clientes conseguem gerar uma maior fidelização. Por isso é preciso abrir diferentes canais de contato e sempre prezar por um bom atendimento.

Esse trabalho também entra na otimização de sites. Uma boa ideia é abrir a possibilidade para o público avaliar os itens dentro do ambiente online. Dessa forma, comentários serão criados e novos usuários poderão avaliar a compra a partir de uma visão do público, imparcial. Isso melhora a experiência do usuário.

Além disso, não se esqueça de demonstrar as suas redes sociais no site.

Heading tags

Dentro das suas páginas você deve destacar as informações mais relevantes e agrupar os assuntos, ajudando o usuário a reconhecer mais facilmente o que ele procura.

Em um conteúdo do blog, por exemplo, é interessante criar intertítulos, chamados de heading tags. Eles são distribuídos em forma hierárquica, ou seja, o título da página é o heading tag 1, ou H1, enquanto os principais subtítulos são H2. Dentro deles podem ser criados H3, H4 e por aí vai.

Essa organização é necessária para ajudar o usuário a ter uma melhor experiência dentro das suas páginas.

Lembre-se de colocar também as palavras-chave no espaço da heading tag, preferencialmente em H1 e H2.

Estrutura para dispositivos móveis

A utilização dos smartphones no dia a dia vem só crescendo, e isso impacta na criação dos sites empresariais. Afinal, se você não considerar essa utilização, pode limitar a sua empresa e perder uma grande parcela do público.

Então, você deve criar um ambiente responsivo, ou seja, aquele que se adapta à tela do dispositivo utilizado pelo usuário sem perder qualidade de visualização e usabilidade.

Google, Bing, Yahoo! e demais buscadores estão de olho na utilização dos celulares como dispositivo de acesso aos sites e já começaram a pontuar bem as empresas que investem em um site mobile.

Então, se você não quer ficar para trás da concorrência, não se esqueça da estrutura responsiva do seu ambiente digital.

Call To Action

Por fim, deixamos um ponto que, apesar de não ser uma das técnicas de otimização de sites, é muito importante para esse trabalho: a CTA. A sigla representa Call To Action, ou chamada para ação, traduzida ao português.

Mesmo que você não saiba o que significa, muito provavelmente já viu e foi impactado por uma CTA. Ela é um direcionamento para o usuário, um indicativo do que fazer.

Por exemplo, você leu um conteúdo no blog de uma empresa e, ao final do texto, encontrou uma mensagem dizendo para entrar em contato com a empresa. Essa era a CTA planejada. Então, o público fará aquilo que foi sugerido. Se você não faz isso, há uma dispersão das atividades. O usuário pode simplesmente fechar a página e encerrar o ciclo.

Por isso, pense na CTA sempre que executar uma estratégia, seja um conteúdo no blog, um botão em uma landing page, a mensagem de um e-mail marketing, entre outros.

Saiba como tornar a navegação do seu site responsiva para o usuário

Devida a importância, criamos este tópico para falar um pouco sobre o site responsivo, ou site mobile.

Para tornar o seu ambiente online adequado para a utilização em dispositivos móveis você precisa pensar na estrutura de criação. Nesse momento uma ótima solução é contar com o ReachSite. Ele tem um design profissional e é responsivo, gerando duas versões: uma web, para desktop, e outra mobile, para dispositivos móveis. Você também pode contar com o ReachEdge, que é uma solução em conversão, que conta com Machine Learning para aumentar as vendas da sua plataforma.

Dessa forma, todo o seu conteúdo será criado já pensando em oferecer uma completa e agradável usabilidade aos seus visitantes, tornando a conversão mais propensa a acontecer.

Portanto, como vimos ao longo do nosso guia completo, o trabalho de otimização de sites é fundamental nos dias atuais. Ele deve ser feito para garantir que a sua empresa esteja entre as primeiras posições das buscas, atraindo um bom volume de tráfego e aumentando as chances de vendas e lucratividade.

Esteja atento aos pontos que listamos e verifique se o seu site está cumprindo com os requisitos. Não deixe de contar com as nossas soluções para lhe ajudar nesse desafio.

Agora, assine a nossa newsletter e receba mais conteúdos relevantes como este para lhe ajudar a buscar melhores resultados na empresa!