5 maus hábitos de SEO que você precisa abandonar em 2016

No mundo do SEO, a única constante é a mudança. O Google faz entre 500 e 600 mudanças em seu algoritmo a cada ano. Por isso, é importante mater-se atualizado com o que tem de novo para 2016 e saber o que deixar para trás. Com isso em mente, vamos listar 5 hábitos que estão desatualizados que você deve abandonar.

1ª Mau hábito de SEO: Enchendo de Palavras-chave
Antes de 2009, o Google e a maioria dos principais motores de busca, usavam palavras-chave dentro do campo meta tag, na página administrativa do site, que ajudava a determinar sua relevância. E este campo influenciava diretamente a classificação no Google, o que tornou fácil para os proprietários de sites manipularem os resultados de pesquisa adicionando o maior número de palavras-chave possível no campo meta tag e conteúdo no site. Desta maneira, o Google começou a dar menos ênfase neste campo.

Então, como as palavras-chave em seus metadados afetam a relevância da sua página? Hoje, o Google se preocupa muito mais em como você está usando naturalmente as palavras-chave em seu conteúdo e nas tags de título de cabeçalho para transmitir a relevância para as pessoas que visitam seu site. Desta maneira, se você jogar uma lista de 20 palavras-chave em meta tags e nas páginas de conteúdo pode parecer uma tentativa de manipular os resultados de pesquisa, o que pode penalizar o seu site. É melhor prevenir do que remediar, então escolha uma palavra-chave foco para inserir na meta tag para destacar o que é mais importante em sua página e naturalmente inclua-a no conteúdo da página. Isso ajudará você a evitar uma penalidade do Google enquanto continua a dar os motores de busca algum contexto para a sua página.

2º Mau hábito de SEO: Esquecendo-se de otimizar tags de título e meta descrições

Quando os motores de busca olham para o seu site, eles precisam de um pouco de ajuda para conseguir decifrar sobre o que é sua página. As meta tags de palavras-chave certamente irão ajudar, mas tags em títulos e meta descrições podem dar mais contexto para os motores de busca para apresentar o seu site em pesquisas sobre seus produtos e serviços e eles resumem sua página para os pesquisadores.

A tag de título define essencialmente o que sua página ou parte do conteúdo é, e deve ter em torno de 50 a 60 caracteres. A meta descrição fornece um resumo da página ou conteúdo e deve ser em torno de 100 a 130 caracteres. Por exemplo, o título de tag para este pedaço de conteúdo é ” SEO: 5 hábitos de SEO ruins que você precisa quebrar em 2016″, e a descrição meta é “aprender como melhorar o SEO do seu site e quebrar esses hábitos ruins de SEO este ano”. Essas duas estratégias trabalham em conjunto para permitir que os motores de busca e o pesquisador saibam exatamente sobre o que este blog é. Certifique-se de incluir uma palavra-chave foco relevante tanto na tag do título e meta descrição para melhorar ainda mais o SEO do seu site.

3º Mau hábito de SEO: não incluir localização em seu SEO

Você sabe onde sua empresa está localizada e as áreas geográficas que atende seus clientes, mas nem sempre os motores de busca, como o Google, sabem.
Certifique-se de que você está incluindo palavras-chave geográficas específicas em seu conteúdo e meta tags. Não é suficiente falar apenas sobre produtos e serviços em seu website. Você precisa falar sobre a relação à sua área geográfica ou cidade do seus produtos e serviços. Por exemplo, se você possui um negócio de entrega de comida em São Paulo, você pode incluir conteúdo sobre São Paulo em suas páginas, nas tags e no código do seu site para que os motores de busca saibam quando mostrar o seu site para pesquisas nessa área específica. Não tome por garantido que o Google e outros motores de busca vão saber onde seus clientes vivem.
Além disso, garanta que o seu site é tecnicamente otimizado para seu local principal e que você está usando a marcação do local no seu site que é consistente com as informações que são exibidas em suas listagens. O Google e outros motores de busca procuram consistência no nome, endereço e número de telefone por meio do seu site e listagens locais para determinar onde você vai aparecer nos resultados da pesquisa. Manter sempre suas informações atualizadas e listadas de forma coerente deve ser uma parte importante de sua estratégia de SEO.

4º Mau hábito de SEO: Escrever o conteúdo para os motores de busca ao invés de pessoas

O Google passou os últimos anos tentando incentivar os proprietários de sites para escrever os conteúdos do seu site para os usuários ao invés de escrever para agradar os motores de busca. Ele lançou várias atualizações que recompensa os sites que aderem a esta prática e penalizam sites que não o fazem. Por exemplo, as atualizações do Algoritmo Panda lançadas ao longo dos últimos anos, reconhece e prioriza o conteúdo de qualidade escrito para o usuário. Com esta atualização, conteúdos originais que agregam valor a um tópico e atendem a consulta do usuário diretamente, vai ter um melhor desempenho nos resultados de busca do que conteúdos mal escritos, pouco legíveis e com palavras-chave inseridas aleatoriamente.
O Google se aprofundou realizando a atualização “Hummingbird Google” em 2013. Com esta atualização ele introduziu a pesquisa semântica ao seu algoritmo. Essencialmente, o Google aprendeu que, para algumas palavras-chave, A = B. Isto foi revolucionário para o mundo da pesquisa e tornou mais fácil escrever o conteúdo para as pessoas porque o Google entendia que “Hotéis no Rio de Janeiro” significava a mesma coisa que “Rio de Janeiro Hotéis”.
E você pode perguntar, por que isso é importante? É importante porque permite que você escreva diretamente para os seus clientes e potenciais clientes, sem ter que entrar em acrobacias lingüísticas para fazer que o Google consiga indexar corretamente e sugerir o seu site nos resultados de pesquisa. Em 2016, certifique-se que você está escrevendo para usuários do site e clientes.

5º Mau hábito de SEO: ignorar buscas móveis

De acordo com Amit Singhal do Google, durante o verão de 2015, mais pesquisas do Google foram realizadas em telefones celulares do que em computadores desktop. Enquanto isso não pode vir como uma surpresa para as pessoas que vivem em seus telefones móveis, esta tendência deverá continuar à medida que avançamos ainda mais em 2016.
No passado, era perfeitamente aceitável não ter um site móvel ou amigável para dispositivos de tela pequena como smartphones e tablets. Em 2016, no entanto, o Google dá preferência nas buscas móveis para sites que são responsivos, e até criou uma tag específica para isso e um teste de site para celular para incentivar esta mudança. Agora, se o seu site não é adaptado para dispositivos móveis, há uma grande chance que não aparecer nas buscas móveis.

Sua estratégia de 2016 SEO

E o que tudo isso significa? Isso significa que se você não está concentrando-se em todos os usuários, escrevendo o conteúdo para pesquisadores em vez de motores de busca, e adaptando o seu site para celular, você não obterá o máximo proveito de seus esforços de SEO em 2016. Quais habitos velhos de SEO você vai deixar para trás em 2016?
Deixe suas respostas nos comentários.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>