8 estratégias de Marketing Digital para potencializar os seus resultados

Nem rádio, nem TV: segundo a Pesquisa de Mídia Brasileira, publicada pela Secretaria de comunicação Social do Governo no final de 2016, o canal de comunicação preferido dos brasileiros é a internet.  

Os dados apontam que passamos cerca de 4 horas e 59 minutos por dia de olho na web. Esse número coloca o país entre os mais conectados do mundo, e entre os mais lucrativos para as empresas que investem corretamente em estratégias de Marketing Digital.

Sim, é isso mesmo: para as marcas que contam com um bom site responsivo, um ótimo conteúdo de blog corporativo, e até campanhas de e-mail marketing, aqui é um excelente terreno para se faturar com a web!

Quer saber mais sobre o assunto e entender como utilizar as principais estratégias de Marketing Digital para fazer sua empresa crescer? Confira nossas 7 dicas de sucesso:

Por que investir em Marketing Digital?

Lá no final dos anos 2000, quando o Google lançou a sua plataforma de AdWords (anúncios pagos), muitos especialistas diziam que a grande vantagem de se investir nesse tipo de marketing voltado para a internet é que isso sairia mais barato do que investir naquele marketing voltado para os meios tradicionais. E até que existe uma verdade nisso, mas o fator “custo” não é o único e nem o mais relevante do marketing digital.

Além de conseguir impactar mais pessoas por uma quantidade menor de verba do que nos meios off-line, o marketing digital tem outras características que fazem dele uma excelente escolha para o planejamento de comunicação da sua empresa. Mostraremos as principais delas a seguir.

Quais as vantagens dessa estratégia?

Velocidade

Ao contrário do que acontece nas campanhas de mídia tradicional, no meio digital não existe o envio de artes para uma gráfica, o agendamento de um horário para a veiculação de um anúncio no TV e nem mesmo a espera pela impressão de uma arte nos jornais. Assim que uma campanha é aprovada, ela já pode entrar em funcionamento na rede.

Fora isso, ainda existe o fato de que os resultados são acompanhados em tempo real, e toda tomada de decisão é feita de maneira mais rápida, tanto para aumentar a performance das ações quanto para solucionar algum problema. Falaremos melhor sobre isso mais adiante.

Ultra segmentação

Anunciar para apenas alguns bairros da cidade? Falar somente com homens ou mulheres de uma determinada faixa etária? Anunciar para homens ou mulheres de uma determinada faixa etária, em apenas alguns bairros da cidade e só a noite? No marketing tradicional, é praticamente impossível segmentar dessa maneira a sua campanha.

Porém, se você optar por estratégias de Marketing Digital para sua empresa, a história muda bastante. Aqui, é possível ultra segmentar o público, a região e até os horários em que seus anúncios serão apresentados. E isso, é claro, pode impactar positivamente os números do seu negócio.

Acompanhamento de resultados

Com a mídia off-line, é praticamente impossível acompanhar os resultados da sua campanha em tempo real.

Um outdoor foi colocado em uma esquina? Não existe alguém ali contando quantas pessoas viram aquele anúncio. Sua mensagem foi transmitida no intervalo do jornal? Também não dá para saber ao certo se o público estava de frente para a TV na hora em que o anúncio passou.

Com o marketing digital, acontece exatamente o contrário: é possível ver não apenas os números de impressões de um anúncio, mas também a quantidade de cliques e até o tempo de permanência dos usuários em uma página, tudo em tempo real.  

Facilidade em mudar o direcionamento

Seu blog corporativo não está recebendo tantos acessos quanto esperava? É possível mudar o tipo de conteúdo. Seu anúncio com determinada imagem não está performando bem? Troque a arte ou a cor do botão de ação e veja se os resultados também mudam.

Em uma campanha de marketing digital, é muito simples mudar o direcionamento para corrigir ou aprimorar um caminho. Basta realizar alguns testes e testar hipóteses até encontrar o que vai funcionar melhor para o seu negócio.

Geração de informações valiosas para o seu negócio

Por fim, outro ponto a favor do investimento em marketing digital é a geração de informações a respeito do seu próprio negócio — algo que ainda é pouco dito por aí.

O que acontece é que, ao planejar, colocar no ar e acompanhar os resultados de uma ação no ambiente digital, você entende o que realmente funciona ou não para a sua empresa, qual público tem mais interesse e até mesmo quais são as regiões mais interessadas no seu serviço ou produto. Ou seja, você coloca à prova o que pensava sobre a sua marca.

No entanto, mesmo com todas essas vantagens, ainda falta explicar como o seu negócio pode aproveitar todas elas na web, não é mesmo? Pois é aí que entram as 7 principais estratégias que você deve adotar para faturar de vez com o marketing digital!

As 7 principais estratégias que você deve adotar

Enquanto este post é publicado, novas estratégias de marketing digital surgem pela web afora. Por isso, é importante ter em mente que o que apresentaremos aqui não são as únicas chaves do sucesso na web.

No entanto, se você observar de perto os casos de sucessos de grandes marcas no meio on-line, provavelmente encontrará pelo menos um desses pontos presentes em suas estratégias digitais. Vamos às dicas:

Desenvolva um Site Responsivo

De acordo com uma pesquisa realizada em 2015 pelo IBGE e publicada pela Agência Brasil, pelo menos 92,1% dos domicílios brasileiros já acessam a internet por meio dos celulares. Trata-se de um número maior do que a quantidade de pessoas que acessa a rede por meio de computadores tradicionais (por volta de 70%, segundo a mesma pesquisa).

De olho nisso, não é de se estranhar que o Google, desde abril de 2015, vem priorizando em seus resultados de busca aqueles sites que sejam responsivos — ou mobile-friendly, como também são chamados —, rodando perfeitamente tanto em aparelhos móveis quanto em computadores.

Por isso, uma das principais estratégias de marketing digital que você precisa adotar é a criação de um site que seja responsivo e que tenha os 5 elementos principais do mobile-friendly, que já mostramos por aqui no blog anteriormente.

Mire na experiência do usuário

Bem, já que falamos sobre a necessidade do seu negócio ter um site que seja responsivo, não custa nada abordar outra importante estratégia do marketing digital bastante relacionada à esse tema: a boa experiência do usuário.  

De acordo com Jakob Nielsen, um dos maiores nomes em design de interação do mundo, essa experiência diz respeito “a todos os sentimentos tidos com a interação do usuário final com uma determinada empresa, seus serviços e produtos”. E aí, é claro, também vale a interação realizada no meio on-line. Mas o que seriam esses sentimentos?

Simples: se um usuário consegue entrar no site da sua empresa e encontrar facilmente o que procura, os sentimentos são positivos. Se ele acessa esse mesmo site por meio do celular e consegue carregar e visualizar as páginas tranquilamente, os sentimentos são positivos. Se as imagens e textos encontrados por ali são de qualidade, os sentimentos, novamente, serão positivos.

Em resumo: quando alguém consegue usar o seu site, encontrar o que procura e ainda se impressionar com um algo a mais, aquela pessoa tem sentimentos positivos a respeito da sua marca, garantindo uma experiência satisfatória. Isso é vantajoso tanto para a construção da sua marca quanto para o ranqueamento do Google, uma vez que o motor de busca também leva em conta o tempo de permanência dos usuários em uma determinada página.

Mas atenção: não é só de texto e imagem que é feita a experiência do usuário com um site. Veja adiante o que mais a sua página deve ter.

Não economize com servidor

De acordo com um levantamento feito pelos ingleses do HOBO, pelo menos 53% dos usuários de smartphones dizem abandonar um site se ele demorar mais de 3 segundos para carregar em seus aparelhos.

Para que um endereço na web tenha uma boa velocidade, além de uma excelente programação, é importantíssimo que ele esteja armazenado em um servidor com boa memória e um bom poder de processamento. Afinal, tempo de carregamento também faz parte da experiência do usuário!

Crie conteúdos de qualidade para o Blog Corporativo

Como já falamos por aqui, não ter um blog corporativo é um dos erros mais comuns de alguns sites, fator que prejudica também os resultados de SEO de qualquer negócio on-line.

No entanto, não basta apenas colocar um blog no ar com qualquer tipo de conteúdo e esperar que isso vá dar resultado para a sua empresa. É necessário ter um conteúdo de qualidade para que esta estratégia funcione. Mas o que teria de diferente nesse tipo de conteúdo?

Originalidade

Essa é a primeira grande regra: não tente copiar e colar o conteúdo de outro lugar. Além de correr o risco de um usuário ou do dono do texto original perceberem o plágio, o Google sabe muito bem quando seu blog está clonando posts de outro canto da internet. Caso isso aconteça com você, seu site certamente será punido.

Utilidade real para o leitor

Se o seu conteúdo não é de fato útil para o leitor, ele não vai querer continuar lendo aquilo, abandonando a página para ir em busca de algo mais relevante. Consequentemente, seus resultados orgânicos serão prejudicados.

Se você não quer que isso aconteça com o seu site, foque os esforços da sua equipe de produção em oferecer conteúdos interessantes para o usuário.

Interatividade

Links, vídeos, infográficos e até chamadas no texto que levem o leitor a se engajar com a marca são alguns dos pontos essenciais de qualquer bom conteúdo para blog. Lembre-se que a internet é um meio dinâmico, e quanto mais interativo for o seu conteúdo, mais tempo o usuário passará explorando o seu site.

Design

Além do design das páginas do blog em si, é muito importante cuidar do design do conteúdo veiculado. Insira imagens de qualidade no decorrer do texto, crie bullet points com pequenas listas e destaque alguns trechos em negrito para tornar a leitura do seu conteúdo mais confortável para o usuário.

Bom uso do português

Tenha em mente que o cuidado que você tem com os textos do seu blog corporativo demonstram também o cuidado que você tem com a sua empresa. Portanto, um conteúdo mal escrito, com ideias mal colocadas e português duvidoso pode não passar uma boa imagem da sua marca para o leitor.

Marque presença nas Redes Sociais

Não há dúvidas de que o bom uso das redes sociais é um dos pontos principais para transformar o seu site em um grande gerador de negócios no meio digital.  

Só para se ter uma ideia, de acordo com o Facebook, pelo menos 45% da população brasileira acessa mensalmente a rede criada por Mark Zuckerberg. São mais de 90 milhões de pessoas conferindo a timeline e subindo imagens todos os meses por ali!

Mas não é só de Facebook que vive o mundo das redes sociais. Escolher a rede social ideal para o seu negócio pode ajudar a sua empresa a criar engajamento com o público correto, além de permitir economizar um bom tempo que poderia ser gasto no ambiente errado. Por isso, nada melhor do que conferir as principais características das grandes redes que temos hoje disponíveis na web.

  • Facebook: de crianças a idosos, todos estão presentes no Facebook, a plataforma mais plural da web. No entanto, apesar de todo mundo ter um perfil por ali, é importante ter em mente que, para páginas profissionais, é preciso investir em impulsionamento de conteúdo para que a sua mensagem chegue a todos os seguidores (algo que iremos explicar melhor daqui a pouco).

  • Twitter: apesar de não ter mais o mesmo peso que o Facebook, o Twitter continua sendo a rede preferida para quem acompanha eventos ao vivo (como programas de TV, jogos esportivos ou até palestras) de olho no smartphone.

  • Instagram: empresas que trabalham com lifestyle, moda, gastronomia ou turismo tem muito o que aproveitar com o Instagram, a rede favorita de quem gosta de conferir boas fotos e vídeos curtos.

  • Youtube: se o seu negócio é do tipo que realmente investe em conteúdo e tem o que dizer para os clientes, o Youtube é uma excelente pedida.

  • Linkedin: mais voltada para os negócios, o Linkedin é uma rede social que pode ser bem importante para estreitar relações B2B e encontrar profissionais de qualidade para a sua empresa.

  • Whatsapp: apesar de ficar no meio do caminho entre rede social e aplicativo de mensagem, o Whatsapp é um importante meio de comunicação no Brasil — afinal, ele está presente em quase 80% dos celulares em uso no país. Isso torna o app uma excelente ferramenta para realizar atendimentos e até vendas, no caso de empresas prestadoras de serviços.

Depois de escolher a rede social ideal para o seu negócio, o segundo passo é planejar exatamente qual conteúdo será publicado por ali. Não se esqueça ainda que, nesse meio, é importante criar relacionamento com os usuários, então nada de produzir mensagens de mão única, onde só a sua empresa fala e o consumidor nunca é ouvido.

Invista em Links Patrocinados, Facebook Ads e Google Adwords

Resultados orgânicos: podemos dizer que este é o santo graal do Marketing Digital. Afinal, quem não gostaria de ter o maior número de conversão possível sem precisar pagar nenhum centavo por isso?

No entanto, atingir diferentes nichos com resultados orgânicos não é assim tão fácil, nem tão rápido. É aí que entram em cena os links patrocinados, aqueles anúncios em formato de texto do Google AdWords e do Facebook Ads.

Com a ajuda desses 3 elementos, você conseguirá, por exemplo:

  • ganhar mais destaque no Google e nas redes sociais;
  • trabalhar algumas palavras-chave que ainda não estejam funcionando corretamente para o seu negócio
  • direcionar a conversão para outros meios diferentes — como determinado telefone ou até uma loja física, por exemplo.

Ainda falando de Facebook Ads, existe outro bom motivo para você colocá-lo em sua estratégia de Marketing Digital: de acordo com um estudo feito pelo pessoal do Social Bakers, entre os anos de 2012 e 2014, o alcance orgânico dos posts do Facebook caiu de 16% para 6,5%. Logo, se você tem uma fanpage com 1000 seguidores, pouco mais de 50 deles iriam ser impactados por algum post de forma orgânica.

É daí que surge a necessidade de investir cada vez mais em impulsionamento de conteúdos que façam sentido para a sua empresa e para aqueles seguidores que já demonstraram interesse pela sua marca anteriormente.

Trabalhe com E-mail Marketing

Quem nunca ouviu por aí que “o e-mail marketing morreu” e que “todo mundo só olha mensagem de WhatsApp, e não de e-mail”? Esses boatos, espalhados aos quatro cantos, não passam de mitos. Na verdade, o e-mail marketing é uma ferramenta que está vivinha e vai muito bem, obrigado.  

Só para se ter uma ideia, estima-se que em 2016 a internet tenha chegado ao patamar de 4.3 bilhões de contas de e-mail criadas. Esse número impressionante se realça ainda mais quando observamos alguns estudos que apontam que as mensagens direcionadas para esses e-mails costumam ser até 40% mais efetivas do que aquelas direcionadas para redes sociais, como Facebook ou Twitter.

Mas não basta fazer uma imagem qualquer, colar no e-mail, disparar e esperar que ele faça sucesso com os clientes: é preciso saber como trabalhar com esse tipo de mecanismo corretamente. Aqui vão duas dicas essenciais:

Produza e-mails responsivos

Sim, da mesma maneira como acontece com os sites, os e-mails também podem ser abertos em diferentes tipos de aparelhos, com diferentes tamanhos de telas, e por isso eles também precisam ser responsivos.

Além de haver uma preocupação extra com a programação dos e-mails, é importante também pensar no peso que eles terão. Afinal, o usuário poderá abrir a mensagem tanto em casa, com uma internet de 20 megas, quanto na rua, com o 3G pré-pago.

Trabalhe com automação de marketing

Outro erro comum que acontece com algumas empresas em relação ao e-mail marketing é não investir em um sistema de automação para filtrar, disparar e analisar os resultados dessa estratégia.

Às vezes, um usuário pode entrar em contato com sua empresa para saber mais novidades a respeito de um produto. Em outros casos, porém, ele pode ter apenas efetuado uma compra e nunca mais aparecido na sua loja. Com isso em mente, não dá para produzir uma mesma mensagem para os 2 e nem esperar que o interesse deles em efetuar uma compra com a sua marca seja o mesmo. Nesse contexto, surge a automação de marketing.

Com esse tipo de sistema, você planeja os estágios do funil de venda em que determinado usuário pode estar e qual tipo de conteúdo é o melhor para ele naquele momento. A ferramenta entende tudo isso e dispara os e-mails na hora certa, criando relatórios importantíssimos para o seu negócio.

Utilize Landing Pages para aumentar a conversão

Por fim, temos as landing pages, aquelas páginas onde o foco principal é a conversão do usuário em cliente.

Ao contrário de uma página de site convencional, uma landing page não conta um vasto menu cheio de opções, nem botões que levam o usuário para fora daquele ambiente. Aqui, o interesse é um só: levar aquela pessoa à compra de um produto ou a um determinado cadastro.

Por isso, nada de levar os cliques da sua ação de marketing digital para um site tradicional. Invista em landing pages, turbine as conversões e aumente seus resultados na web!

Conclusão

Como você viu por aqui, hoje em dia as pessoas (especialmente os brasileiros) estão muito mais ligadas na internet do que em meios de comunicação tradicionais, como rádio, TV ou impressos. Por isso, usar a web como ferramenta de marketing é mais do que uma opção para o seu negócio: é uma necessidade.

No entanto, é preciso saber como atuar corretamente no meio on-line para obter sucesso. Ter um site responsivo, um blog corporativo com bom conteúdo e apostar no e-mail marketing são só algumas das formas de se conseguir ótimos resultados com as estratégias de Marketing Digital. Portanto, que tal começar a colocar tudo isso funcionando para o seu negócio a partir de agora?

Curtiu o nosso post? Então compartilhe em suas redes sociais e ajude seus amigos a se tornarem experts em marketing digital!

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>