Internet das coisas e wearable technology: o que esperar e como se preparar

Você já deve ter ouvido falar dos termos internet das coisas e wearable technology, não é mesmo? Apesar disso, ainda não entende muito bem o que significa e qual a importância deles no seu dia a dia e da sua empresa. Essas tecnologias estão mudando a forma como as pessoas vivem e as empresas precisam acompanhar essas mudanças.

Neste post, explicaremos o significado de internet das coisas e wearable technology, o que o futuro reserva para essas tecnologias e como se preparar para elas. Boa leitura!

O que é internet das coisas?

Esse é um conceito novo e vem ganhando destaque na área de tecnologia da informação. Internet das coisas se refere a “coisas” do nosso dia a dia que estão conectadas a uma rede trocando informações entre si, tanto para coleta de dados quanto para melhorar suas funcionalidades.

Na internet das coisas, as tecnologias de RFID (identificação por radiofrequência) e Bluetooth são usadas para realizar a comunicação. Elas podem ser úteis para identificação escolar ao utilizar etiquetas com um código nos uniformes, registrando a entrada e saída dos alunos por meio de um leitor de etiquetas. Essa tecnologia pode ter usos até mais simples, como enviar um comando por meio do celular para a cafeteira preparar um café, ou para que a máquina de lavar roupas inicie a lavagem.

A internet das coisas também é usada na agricultura para irrigação de campo a distância. O dispositivo opera tanto por RFID quanto por rede 3G/4G e envia periodicamente informações sobre a irrigação para um banco de dados. Por meio de um painel de controle, o sistema pode ser acionado pela rede para iniciar a irrigação.

O que significa wearable technology?

Wearable technology é um termo em inglês para “tecnologia usável”. Essa tecnologia também faz uso da internet das coisas para se conectar a uma rede, mas ela pode ser vestida. As wearable technology mais faladas são as pulseiras monitor, anéis, relógios, óculos e camisetas.

Pulseiras Monitor

É a soma de pulseira, relógio e monitor cardíaco. Esse dispositivo é usado para monitorar a saúde do usuário, pois consegue medir a frequência cardíaca, identificar quando o usuário está se exercitando, calcular calorias gastas, monitorar o sono, além de mostrar a hora, é claro. Todos esses dados são sincronizados com os aplicativos de smartphone por meio de Bluetooth ou Wi-Fi. Existem diversas marcas de pulseira monitor, e uma delas é a Easy Mobile.

Anéis e relógios

Esses dispositivos utilizam o Bluetooth também para se conectarem com os smartphones para poder controlá-los. Usando os anéis ou relógios, o usuário pode gerenciar ligações e ver notificações diretamente de seu dedo ou pulso.

Além disso, também é possível controlar reprodução de música, ligar a câmera do smartphone e até rastrear um celular perdido. Uma das marcas que comercializam anéis inteligentes é a Jackon. Já o relógio é possível encontrar das marcas Samsung, Apple, dentre outras.

Óculos

O Google lançou em 2017 uma versão de seus óculos inteligentes voltada para empresas. Essa tecnologia é um par de óculos no qual há uma tela na parte de cima do campo de visão acoplada a uma das lentes. Essa tela apresenta ao usuário previsão do tempo, rotas e mapas. Também é possível realizar chamadas de vídeo e fotografar algo que o usuário esteja vendo.

Google Glass Enterprise Edition conta com uma resolução de 640×360 pixels, sensores de luz ambiente, detector de piscadas, conexão Bluetooth, Wi-Fi, led frontal, 2 GB de memória RAM e 32 GB de armazenamento.

Camisetas

Camisetas inteligentes também já são realidade: a empresa americana Polar emprega sensores de frequência cardíacas para rastreamento fitness. Os treinadores agora podem ver os dados biométricos de seus atletas em tempo real, que são compartilhados por um aplicativo móvel compatível.

O que esperar?

Agora esqueça o que já temos hoje e imagine o potencial da internet das coisas e wearable technology. Quais são as possibilidades? O que poderia facilitar o nosso dia a dia?

Talvez você não se lembre, mas os anéis que tinham uma pedra que mudava de cor de acordo com o “humor” da pessoa foram bastante populares há vários anos, mas com o uso de wearable technology e internet das coisas, esse conceito pode ser levado a um nível mais preciso. Imagine se um anel utilizasse sensores capazes de identificar verdadeiramente seu estado emocional para que as pessoas à sua volta respondessem apropriadamente?

Você já deve ter caminhado na rua em dias quentes e sentiu seus pés queimarem, ou mesmo congelarem nos dias frios. Seria interessante um sapato que pudesse converter seus passos em energia e pudesse usá-la para esquentar ou esfriar seus pés de acordo com o clima local, não é mesmo?

Outra integração interessante da wearable technology é em relação à automação residencial. Imagine caminhar em direção à porta da sua casa e ela automaticamente se abrir devido a uma autenticação de algum item que você está usando, como anel ou relógio.

Parece promissor, não é?

Agora imagine entrar na sua casa e um sensor que você está usando detectar sua temperatura e ajustar seu ar-condicionado ou aquecedor para que fique na temperatura certa para você. Ainda não acabou: um sensor poderia medir a hidratação da sua pele e enviar um comando para sua geladeira para que ela lhe prepare um copo d’água.

Por enquanto, os dispositivos usáveis de saúde e fitness representam o primeiro passo para o futuro dos wearable technology. Os consumidores estão confiantes de que os usáveis podem estender as experiências de smartphones e tablets.

Ainda não sabemos se essa indústria já encontrou aquilo que vai levar à adoção em massa dos usáveis pelos consumidores, porém, acredita-se que poderemos ver mais frequentemente essa tecnologia a partir de 2020.

Como se preparar?

É importante a indústria continuar experimentando com os wearables, mas eles realmente estão atendendo às necessidades dos consumidores? Será que as empresas precisam explorar outros tipos de parcerias para tornar a tecnologia mais acessível?

É preciso também remodelar os modelos de negócios uma vez que as pessoas vão usar dispositivos que se conectam à internet, ou seja, elas vão querer conseguir se conectar. Os estabelecimentos comerciais também vão precisar oferecer estrutura para os usáveis para atrair mais clientes.

Além disso, as companhias devem pensar uma forma de seus clientes interagirem com a marca utilizando essa tecnologia. Para isso, as estratégias de marketing serão muito importantes para que o mercado acompanhe esses dispositivos.

Deu para notar que a internet das coisas e as wearable technology são assuntos da atualidade, mas ainda têm muito espaço para crescer no futuro. Elas vão mudar a forma com que as pessoas interagem com a tecnologia e também o estilo de vida de cada usuário, podendo contribuir com a saúde ou simplesmente facilitando o dia a dia de todos nós.

E aí, nosso post te ajudou a entender um pouco melhor o significado de internet das coisas e wearable technology? Então, assine nossa newsletter para ficar sempre atualizado com as novidades do mundo tecnológico!

Você Também Vai Gostar